Croácia

Os ferries da companhia Jadrolinija são o melhor meio de transporte entre as ilhas. De uma embarcação vinda de Bari, na Itália, você pode seguir para a Ilha de Hvar. Em Stari Grad, caso esteja sem tanto dinheiro tente rachar um táxi até a cidade de Hvar propriamente dita. A carteira fica alguns euros mais fina (os táxis cobram caro em qualquer canto). Vindo de Split, a segunda maior cidade do país, a travessia pode ser mais fácil. Do centro de uma das principais áreas de dominação romana na região, ao lado da antiga residência de verão do imperador Diocleciano (hoje um centro comercial), há barcos que seguem direto para o centro de Hvar. De lá também é possível fazer passeios de um dia para a Ilha Brac, com as praias mais famosas da Dalmácia.

Hvar está na moda. E isso faz com que tudo pareça um catálogo de verão fashion. Garotões bronzeados ancoram seus iates e são observados por mulheres de chapéu panamá e Havaianas espalhadas em sofás de ratã. Por  cerca de 22 kunas, você  pode tomar uma cerveja no bar do Riva, o mais estiloso hotel da cidade. E no dia seguinte, você pode  pegar a Praia de Palmizana, nas sossegadas Ilhas Pakleni, a poucos minutos de táxi-boat. No konoba (nome usado para restaurantes mais caseiros e familiares)  nada de  pizza ,Coca ou sanduíche . Veja o cardápio de comidinhas regionais. Ainda que os preços não sejam tão camaradas, os jantares no restaurante italiano Luna e Macondo são bem melhores. E quase sempre terminam com mais uma garrafa de vinho e com o saboroso queijo da Ilha Pag na sobremesa. Passar a noite na boate Carpe Diem custa caro.  É verão na Europa  e a Croácia está  num ótimo  momento.

Compartilhe: